A-
A+

O ser humano no Mundo Líquido-Moderno

18/03/2015

Zigmunt Bauman denomina líquido-moderna “Uma sociedade em que as condições sob as quais agem seus membros mudam num tempo mais curto do que aquele necessário para a consolidação em hábitos e rotinas”. O tempo é mais importante do que a conduta. Não se prima, em geral, pela qualidade na construção dos objetos e das relações, mas sim do seu consumo. Na modernidade Líquida tudo é volátil: as relações humanas não são mais tangíveis. A vida familiar, de grupos, de amigos e afinidades políticas perde consistência e estabilidade. Tudo vira objeto de consumo, descartável e o destino é a lixeira. É cada um por si. Não importa a origem dos objetos, desde que atenda à moda. O avanço da tecnologia, se bem utilizado, trouxe progressos extraordinários: viaja-se com maior rapidez, conforto e segurança; diagnostica-se e trata-se com maior precisão; comunica-se facilmente, distanciando  pessoas, mas aproximando imagens queridas. No passado, “progresso“ significava um amanhã melhor. Hoje, é difícil planejar. Busca-se o bem de consumo, a qualquer custo! O amor liquido é um consumo enquanto traz prazer. No passado, restringia-se a liberdade de escolha. Hoje, luta-se contra as adversidades do destino sem a ajuda de amigos fiéis e um(a) companheiro(a) de vida. Como compartilhar altos e baixos? Nestes tempos líquidos nada é feito para durar. Os relacionamentos escorrem por entre os dedos, feito água.Nunca se fez tanto “amor” sem compromisso.Os iPhones, tablets, notebooks,existem para disfarçar o antigo medo da solidão, exceção feita aos seres amadurecidos. Na rede social, tornou-se mais fácil conectar e desconectar, sem necessidade de explicações. Existem sintomas da nossa crescente intolerância à dor, ao sofrimento e ao desconforto. Em uma vida regulada por mercados consumidores, as pessoas passaram a acreditar que, para cada problema, há uma solução. E, esta solução pode ser comprada na loja. A tarefa não é usar suas habilidades para superar as dificuldades, mas, encontrar a loja que venda o produto certo para supera-lasem seu lugar. Nunca se vendeu tantos analgésicos, ansiolíticos e antidepressivos; nunca se fez tanta cirurgia plástica. Obsessão? Não é o ideal de perfeição que lubrifica as engrenagens da indústria de cosméticos, mas a obrigação de seguir a moda atual. Na cirurgia plástica são oferecidos aos clientes cartões de “fidelidade”, garantindo um desconto nas sucessivas cirurgias que eles certamente irão realizar.

 

José Raimundo Lippi é psiquiatra, reconhecido internacionalmente pela efetividade e seriedade científica na área de comportamento e transformação humana. Ao escrever e publicar inúmeros livros e artigos a respeito da alma humana e do processo terapêutico, tornou-se um dos mais influentes psiquiatras da atualidade.